11/02/2012


McTAGGART, Lynne, O Campo, A Força Secreta Que Move o Universo. Lisboa: Presença, 2001 (ca. 347 pp. e 18 euros)


“Estes paradigmas – o Mundo como uma máquina, o Homem enquanto máquina de sobrevivência – trouxeram um domínio tecnológico do Universo mas (…) A um nível espiritual e metafísico, conduziram a um sentimento de isolamento”  (p. 11)

“A um nível subatómico não existe nenhum mecanismo causal no Universo”


“A partir do momento em que nascemos é-nos dito que para cada vencedor tem de existir um vencido (…)


O Corpo conta uma história científica radicalmente nova. O último capítulo dessa história, (…) sugere que, na nossa essencia, existimos como uma unidade, uma relação,  completamente interdependentes, com cada parte a afetar o todo,  (…) Se um campo quântico nos mantém a todos juntos na sua rede invisível, temos de repensar as nossas definições de nós mesmos e daquilo que é, exatamente, ser-se humano.” (p. 227)

“Numa altura em que as velhas  histórias científicas, cuja ênfase está no domínio técnico do Universo, estão a ameaçar extinguir o nosso planeta, O Campo oferece um futuro alternativo” (p. 229)

                             
“Um campo é uma matriz ou um meio que liga dois ou mais pontos no espaço, normalmente através de uma força, tal como a gravidade ou o eletromagnetismo. A força  é habitualmente representada por vibrações ou por ondas no tempo” (p. 44)

11/01/2012

Arquivo do blogue